Reencarnação

832
Reencarnação

Como podemos superar este fenômeno de repetidos nascimentos e mortes que rege a todos os seres vivos deste mundo?

Este mundo é um lugar onde cada ação traz sua respectiva reação e onde se experimenta continuamente o nascimento, o crescimento, a doença, o envelhecimento e finalmente a morte. O que morre vai nascer novamente e o que nasce tem que morrer de novo, isso se chama samsara, que é o repetido ciclo de nascimentos e mortes que nos leva por 8.400.000 espécies de vida.

Às vezes nascemos como seres humanos e outras vezes como animais. Estando em um corpo animal podemos evoluir de novo e nascer em um corpo humano, mas se como seres humanos abusarmos da nossa inteligência e cometermos violência contra os animais, teremos que receber outra vez corpos inferiores, como os dos nossos irmãos menores, os animais. A este círculo de nascimentos e mortes também se chama kala chakra ou roda do tempo.

Somos almas eternas, mas nossos corpos materiais são temporais e podem variar às vezes por homens, às vezes mulheres, às vezes bonitos, às vezes feios. O importante é que sempre seguimos adiante buscando reestabelecer nossa relação perdida com Deus. Sem dúvidas, nesta busca podemos fixar erroneamente nossa atenção neste mundo material e experimentar diversas circunstâncias nas quais poderemos ser felizes ou infelizes, mas sempre, apenas por aceitar novos corpos, encontraremos cada vez mais frustração.

Se alguém se suicidar por estar frustrado com seu corpo, apenas perderá temporariamente este corpo material grosseiro, pois terá de vagar em seu corpo sutil como fantasma até que esta situação o aborreça tanto que aceite mesmo o corpo de um ganso para poder entrar outra vez na cadeia da evolução dos corpos materiais.

A alma espiritual é capaz de entrar no corpo de um mosquito, de um elefante, de uma baleia, de um ser humano, etc. Devemos reconhecer o poder da alma, esta força vital. Não é um acidente que tenha criado tanta consciência, não somos seres mecânicos, somos seres espirituais. Se ignorarmos esta roda do tempo e as leis que regem a mudança do karma, do olho por olho e dente por dente, a única coisa que acontecerá é que seremos sacudidos por nossa própria ignorância e continuaremos recebendo diferentes corpos, mas sem esperança alguma de sair deste mundo material.

Como poderemos sair deste círculo? Isto somente é possível pela infinita misericórdia do nosso Senhor Supremo, quem nos deu a capacidade de amar, de discriminar, de ir onde Ele está. Essa grande força e esse grande amor de Deus estão no coração de cada um de nós e agora nos corresponde retificar nossa posição, corrigir nossos erros e pedir anistia espiritual para que Deus seja misericordioso conosco e nos tire desta situação que é tão difícil de tolerar. Krishna (Deus) disse no Bhagavad Gita (5:8): “E quem quer que no final da vida abandone o corpo se lembrando unicamente de Mim, imediatamente alcançará Minha natureza, disto não há nenhuma dúvida.”

Grandes filósofos disseram que devemos nos lembrar de Deus no momento da morte. Grandes profetas anunciaram: “Pense em Deus, faça tudo com consciência de Deus e pense que apenas Ele pode te salvar.” Mas Ele só ajuda aqueles que queiram ser salvos. Temos que começar desde já. A quem sinceramente não tenha o desejo de nascer mais neste mundo, eu recomendo de coração que comecem imediatamente a levar uma vida muito pura, sem consumir o resultado de tanta violência como a carne, o peixe, os ovos, e fazer de sua comida uma maravilhosa oferenda a Deus. Tampouco devem intoxicar o corpo com drogas que prejudicam a atrofiam o cérebro, incapacitando alguém de se decidir a fazer algo bom na vida. Também devem abandonar a promiscuidade sendo fiéis no matrimônio e dedicados ao fazer felizes suas famílias. E não participar de jogos de azar, nem enganar, mentir ou tampouco fazer sofrer aos demais.

Estes são os ensinamentos básicos que recebemos da Lei do Dharma (dever eterno), o qual se anuncia nas Escrituras Védicas de uma forma muito linda e que nós devemos seguir para podermos receber esse grande prêmio que consiste em nos liberarmos dos repetidos nascimentos e mortes e buscar de forma prática o amor puro por nosso Senhor Supremo. Buscar a liberação impessoal apenas para o bem particular é egoísmo, devemos sentir compaixão por todas as pessoas ignorantes deste mundo e se oferecer para servir à causa de Deus, pois assim Ele nos aceitará e nos abençoará sem dúvida alguma. Tudo isto é possível em Kali Yuga (a era atual de brigas e hipocrisia) somente através do maha mantra:

Hare Krishna Hare Krishna

Krishna Krishna Hare Hare

Hare Rama Hare Rama

Rama Rama Hare Hare

*“Já parou para pensar que a transmigração da alma é, ao mesmo tempo, uma explicação e uma justificativa a todos os males do mundo? Se os males que sofremos são o resultado dos pecados cometidos em nossas vidas passadas, poderemos levá-los com resignação e com a esperança de que se nesta nos esforçarmos pela virtude, nossas vidas futuras serão mais afortunadas e com menos sofrimento.” W. Somerset Maugham

“Como o fio da navalha.”

*Samsara quer dizer nascimentos e mortes repetidos ou transmigração. Como resultado do karma, uma pessoa pode tornar seu nascimento em uma família de ricos comerciantes ou em uma família de insetos. O Padma Purana (escritura sagrada antiga) expressa detalhadamente que há 8.400.000 espécies de vida e que a jiva (alma) caída tem que nascer em cada uma delas. Depois de evoluir através de muitos milhares de nascimentos, a jiva alcança finalmente a forma humana, que é uma oportunidade única para cultivar a autorrealização e se liberar deste samsara.

Frases:

“Você pode chegar à perfeição nesta própria vida.”

“A vida é curta e o momento da morte é incerto, portanto, se dedique seriamente à vida espiritual.”

Fonte: Coleção Sabedoria Védica

Autor: Swami B. A. Paramadvaiti

 

reencarnacion