O veneno do açúcar e como substituí-lo

1045

O veneno do açúcar e como substituí-lo

As coisas da vida nos agradam quando são doces: o lar, as palavras, a música e os sabores. Somos viciados em tudo isso. A doçura é um presente de Deus, pois assim como a beleza e o caráter divino, ela também é um traço do Senhor Supremo, o qual apareceu no mundo como um doce menino que conquistou o coração dos seus devotos.
Naquela época, há 5000 anos, muitos pratos doces eram preparados em oferenda a Ele, porém não eram feitos à base de química, como o açúcar branco refinado (processado com ossos e branqueado artificialmente), mas sim com substâncias naturais.
A natureza sempre nos forneceu doces extraordinários como os das frutas, o mel, a cana-de-açúcar e a estévia rebaudina, que é uma maravilhosa planta nativa do Paraguai, onde os Incas Guaranis a consumiam desde tempos imemoriais.
Embora os adoçantes naturais devessem ser mais baratos nos mercados do que os processados, isso não ocorre. Por exemplo, a cana-de-açúcar, que produz melado e rapadura, é um alimento pronto para consumir e igualmente a estévia, cujo extrato pode ser 300 vezes mais doce do que a cana, sem produzir diabetes e nem cáries. Porém, a indústria açucareira utiliza processos de refinamento que alteram os alimentos naturais, impondo hábitos que são prejudiciais.
Deve-se ter claro que os produtos químicos na alimentação são nocivos a saúde, provocam câncer e outras doenças. Portanto, é necessário que o ser humano analise o processo de produção de tudo o que vai consumir. Desafortunadamente, a vida agitada nos leva a comprar tudo empacotado, enlatado e pré-cozido. E o pior de tudo, a esquentar os “alimentos” no forno micro-ondas, fazendo ainda mais desastrosos os efeitos no organismo.
 A falta de dedicação e tempo para selecionar e preparar os alimentos soma-se ao efeito negativo da publicidade, através da qual se anunciam venenos como o açúcar, sem advertir ao público sobre seus componentes. Ao contrário, discriminaram, perseguiram e proibiram plantas como a estévia, sob o pretexto de que esse doce poderia causar danos à saúde. Um paradoxo, pois o açúcar é vendido nos mercados mesmo sabendo-se que o mesmo é muito prejudicial.
 Sabemos que mudar hábitos alimentares não é fácil, mas no caso do açúcar vale a pena fazê-lo o quanto antes. Sim, temos que adoçar a vida, mas com frutos secos, por exemplo, que não foram processados com açúcar, mas desidratadas pelo sol.
 Acontece que o açúcar refinado perde todos os minerais e nutrientes existentes na cana em estado natural, gerando um vício devido à combinação de vários agentes químicos. Sequer se pode confiar no mel vendido no comércio, pois muitos apicultores estão alimentando as abelhas com açúcar refinado para que rapidamente produzam um doce que parece com o mel, mas que está muito longe de ser. Por trás disso tudo existem interesses de empresas poderosas.
 É muito importante não mais se deixar manipular por interesses econômicos de alguns e se esforçar para alcançar uma vida simples com pensamentos elevados, para a qual é indispensável uma alimentação consciente (saudável), que inclui o vegetarianismo e distanciar-se de tudo o que é processado quimicamente.
 A sabedoria védica ensina que a Krsna (Deus) devem ser oferecidos todos os alimentos que se preparem, cujo estado deve ser o mais puro e natural. Deus proveu todo o necessário para ter uma vida e alimentação saudáveis.
 A doçura e a pureza nos levarão ao plano da espiritualidade, duas características da vida que se encontram de maneira perfeita nos Santos Nomes de Deus. Cantar ou pronunciar esses nomes sagrados certamente é algo muito especial, porque a doçura espiritual é uma bela experiência que faz os seres humanos mais felizes e pacíficos, curando a aspereza da vida e corrigindo a consciência cruel e insensível, especialmente aquela que causa dor aos outros.
 A sabedoria védica nos permite descobrir o caminho para conservar a saúde, a paz e a veracidade. Por isso os líderes devem aprender esse conhecimento, para trabalharem pela proteção do planeta, por cultivos orgânicos e não permitirem que as grandes corporações envenenem o mundo com a alteração química dos alimentos.
 Existem opções para substituir os produtos químicos e viver de maneira saudável e feliz. E, também para cessar de matar os animais para o consumo humano e aceitar uma alimentação vegetariana estrita: sem nenhum tipo de carne, ovos ou peixe. Assim, com certeza a situação do planeta melhorará, pois tudo o que passa pela indústria contamina o mundo, e o que dizer da carne, cuja produção demanda quantidades de água inimagináveis.
 Os sabores da cozinha vegetariana ayurvédica são ilimitados e os Centros de Yoga Inbound oferecem cursos e revistas de receitas vegetarianas. Devemos buscar pelo natural. Deus nos deu um mundo opulento e belo.
 Receitas vegetarianas
Fonte: Coleção Sabedoria Védica
Autor: Swami B.A. Paramadvaiti

 

Alguns textos podem conter erros de tradução. Para fazer sugestões pode escrever a contato@yogabazar.com.br