Os benefícios das cerimônias de fogo

3518
Os benefícios das cerimônias de fogo

Há uma antiga tradição ensinada nos Vedas, assim como em outras culturas, do uso do fogo sagrado para realizar oferendas à Suprema Personalidade de Deus e invocar Suas bênçãos, Sua orientação, e para que Ele aceite nossos votos. Estamos falando de agnihotra-yajña ou cerimônia de fogo, a qual começa com o mantra ou oração purificatória:

Om apavitrah pavitro va,
sarvavastham gato ‘pi va
yah smaret pundarikaksam,
sa bahyabhyantarah sucih.
Sri visnu, sri visnu, sri visnu.

“Purificado ou não purificado, e mesmo depois de uma pessoa ter passado por todas as diferentes circunstancias imagináveis, se lembrar da Suprema Personalidade de Deus, que tem os olhos como pétalas de flor de lótus, essa pessoa é automaticamente purificada internamente e externamente”.

Todas as transições importantes na vida devem ser acompanhadas pelas invocações dos sacrifícios de fogo. Por exemplo, nos samskaras ou rituais purificatórios que se realizam quando uma pessoa nasce, ou quando recebe seu primeiro nome, os primeiros grãos, a iniciação espiritual como discípulo de um mestre Vaishnava, o mantra sagrado, gayatri mantra (ou oração que traz liberação); também, quando se entra na vida de matrimonio sagrado ou vivaha yajña, ou na ordem monástica dededicação, sannyas.
Igualmente, cada vez que se inaugura uma casa ou se dá inicio a alguma atividade importante, pede-se proteção a Deus através do fogo e se completa a cerimônia com o canto dos Seus Santos Nomes ou Maha Mantra:

Hare Krishna
Hare Krishna
Krishna Krishna
Hare Hare
Hare Rama
Hare Rama
Rama Rama
Hare Hare

Os diferentes tipos de cerimônia e sacrifícios têm como propósito nos purificar em todos os aspectos, como por exemplo, antes de gerar um filho, em que o costume é o de que os pais muito religiosos realizem o garbhadhana samskara ou ritual de purificação, no qual se ora ao Senhor Supremo para que chegue ao lar um filho virtuoso, com boas qualidades, uma grande alma.

Geralmente as cerimônias de fogo são dirigidas por um brahmana ou um sannyasi, sacerdotes qualificados que inspiram os demais por estarem absortos em vida espiritual. O agnihotra-yajña de certa maneira é simbólico: Agnideva, o semideus do fogo, é uma forma do Senhor Supremo que aceita nossas oferendas em um ato de consumação de tudo que se leva ao fogo, ou seja: cinco variedades de fruta, cinco tipos de
grãos, cinco classes de metais e outros ingredientes. Depois, os remanescentes disso tudo, por serem prasadam ou alimentos oferecidos a Deus, são distribuídos entre os assistentes.

Contudo, o mais importante nesses atos é oferecer sinceramente nosso coração ao Senhor, implorando que Ele nos dê Sua Proteção, Sua guia na vida, e nos torne instrumento de Seu amor.

O canto do Maha Mantra e dos demais mantras que se recitam no agnihotra-yajña para pedir a benção dos santos do passado, assim também o oferecimento do mangalam stotram ou o louvor auspicioso pelo qual se invoca a iluminação de todos os grandes mestres, das manifestações de Deus e dos grandes devotos presentes e não presentes na cerimônia, isso tudo realmente se realiza para lembrar que somos dependentes.

Em grande parte, a importância do Agnihotra-yajña reside em que, graças a ele, lembramos que diante de Deus somos dependentes, por isso invocamos a Sua presença.

O agnihotra-yajña é como uma declaração pública de que sem a misericórdia de Deus não poderemos ter sucesso nem solucionar nossos problemas. Por isso oramos: “Ó Meu Senhor!” e fazemos uma humilde oferenda ante o fogo, que consiste em jogar bananas e grãos, enquanto se pronuncia o mantra swaha.

No agnihotra-yajña deve-se ter a mente fixa no Isthadev ou o Senhor de nosso coração adorado no Altar. Esta intensa recordação cria uma auspiciosa atmosfera de purificação e também de união, pois as cerimônias de fato se realizam em grupo. Unidos, lembramos que temos uma só causa: a causa de Deus.

Os sacrifícios de fogo são uma festividade em congregação, em família e é de grande ajuda para todos, pois o Senhor está presente em cada aspecto desta cerimônia, ou seja, no canto do Santo Nome e no fogo sagrado, nas oferendas, na prasadam, na conversa ou palestra sobre o tema respectivo, e nas promessas feitas pelos devotos presentes.

Assim, a soma total de um agnihotra-yajña é um intenso compromisso com Deus, a vida e a espiritualidade. Esta é a consciência com a qual podemos realizar os sacrifícios védicos pela graça do Senhor, para melhorar a atmosfera na terra.

Agradecemos a nosso mestre espiritual, A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, por ter nos introduzido na cultura brahmínica, e nos ensinado a fazer agnihotra-yajña, por que as oferendas a Visnu ou Deus são a essência da vida.

Krishna diz no Bhagavad Gita: “O que quer que faça, o que quer que coma, o que quer que dê, assim como todas as austeridades, tudo isso deve ser feito como uma oferenda a Mim” (9.27).

Tudo que fizermos deve ser oferecido como um sacrifício à Suprema Personalidade de Deus. Esta atitude nos permitirá obter coisas positivas, pois somos parte de Krishna e de uma grande família, de uma grande irmandade universal. Isso tudo será mais transparente se seguirmos as instruções de um devoto vaishnava consagrado, como Srila Prabhupada.
Não devemos duvidar na hora de convidar um brahmana para realizar um lindo agnihotra-yajña no lar, junto aos nossos amigos. Vale a pena difundir a cultura das cerimônias de fogo entre aqueles que desejam purificar sua existência e melhorar um mundo como o nosso tão carente de espiritualidade, vocação e dedicação à vontade de Deus.

Este convite deve chegar a todos, para crescermos e alcançarmos o propósito e a perfeição da vida humana: atato Brahma yijñasa: inquirir, conhecer a verdade e colocá-la em prática.

Fonte: Coleção Sabedoria Védica
Autor: Swami B.A. Paramadvaiti

 

Alguns textos podem conter erros de tradução. Para fazer sugestões pode escrever a contato@yogabazar.com.br